Crônica: Medo ou ousadia? Por José Luiz Ricchetti

Thoreau foi um filósofo americano que pregava que o ser humano deveria viver de um modo mais inteligente, mais eficaz, mais bonito, e menos angustiante.

Quem já não se arrependeu de não ter tomado atitudes que viriam, de alguma forma, a melhorar a sua vida?

Clarice Lispector, em sua crônica ‘Aprendendo a Viver’, sabiamente colocou que todos nós, se fizermos um pequeno exame de consciência, com certeza iremos nos lembrar de vários momentos da nossa vida que foram perdidos, simplesmente porque não ousamos, tivemos medo!

Quem de nós já não teve aquele arrependimento ‘de ter tido’, ‘de não ter sido’, ‘de não ter feito’, ‘de não ter aceitado’?

O complicado é que esses nossos arrependimentos as vezes costumam ser dolorosos, profundos e cobrar bem caro em relação ao nosso futuro.

Na realidade, o que nos impede, na maioria das vezes, de ter o que queremos, ser o que sonhamos, fazer o que pensamos e aceitar com o coração é a ousadia, que muitas vezes, deixamos de cultivar!

A ousadia é a escrava do medo…

Por isso temos que ousar sempre!

Quantas vezes não perdemos a oportunidade de ser felizes, pelo simples medo de ter a ousadia de amar? Quantas vezes não tivemos medo do preconceito ou então ‘do que vão dizer’?

Tivemos medo de ousar porque o objeto do amor ‘era mais bonito’, ‘era mais rico’, ‘era mais jovem’, ‘era mais velho’, ‘era mais culto’, ‘era menos culto’…

E aí, o tempo passou e o momento também…

Quantas vezes não perdemos a oportunidade de realizar um grande sonho, por não ter tido a coragem de ousar, de arriscar, deixando para depois ou para mais tarde o que deveria ser feito naquele momento?

Quantas vezes não deixamos de pronunciar, no momento oportuno, aquelas palavras que gostaríamos de ter dito, pelo simples medo de parecermos ridículos ou imaturos?

Quantas vezes ficamos, por que tivemos medo de partir?

Quantas vezes não dissemos baixinho o que, na realidade, gostaríamos de ter gritado aos quatro ventos?

Quantos momentos não perdemos na nossa vida, por ter esquecido que um simples sorriso pode ser a salvação de uma grande alegria?

O medo é que sempre nos impede de ser ousados no hoje, no agora.

O medo é que nos impede ser aquela pessoa melhor que podemos ser.

Só a ousadia nos permite descobrir o tamanho que podemos ser.

Fernando Pessoa já nos disse que “Tudo é ousado para quem a nada se atreve!”

Somente a ousadia é que nos permite conjugar o verbo sorrir sem ter medo da palavra viver!

José Luiz Ricchetti – 17/08/2021

thiagomelego

thiagomelego

Jornalista por tempo de serviço, Radialista, Administrador, tecnólogo em Recursos Humanos. Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas.