fbpx

Crônica: O bambu e a nossa vida

(Texto criado e escrito por José Luiz Ricchetti)

Se plantarmos uma semente de bambu, este bonito arbusto da natureza, durante os próximos quatro anos não irá acontecer nada, absolutamente nada, exceto o lento desabrochar de diminutos brotos, a partir dos seus bulbos.

Durante quatro anos, todo o crescimento do bambu é subterrâneo, numa maciça, enorme e fibrosa raiz, que se estende de modo vertical e horizontal pelo terreno ao seu redor.

Só então, a partir do quinto ano, o bambu começa a crescer, até atingir mais de vinte metros de altura.

Tudo nesta nossa vida, seja na vida privada ou profissional podemos dizer que é desse mesmo modo.  Quantas são as vezes em que plantamos nossas sementes e ficamos esperando por resultados imediatos.

Depois o tempo começa a nos ensinar que nada na vida dá frutos imediatos, nada na vida obedece ao nosso tempo, mas tudo obedece ao tempo de Deus.

Às vezes, como o bambu, nós demoramos para ver nossos brotos crescerem por anos e anos a fio. Por isso é que precisamos ter muita paciência para deixarmos nossas raízes ficarem bem profundas e resistentes pois só assim as nossas conquistas se tornarão duradouras e permanentes. 

Se observarmos o bambu, com mais detalhes, veremos que seus galhos, mesmo quando bem altos, se sustentam firmes nos dias de ventos fortes e grandes tempestades, se curvando diante delas, quando necessário, para não serem arrancadas do seu lugar.

Isso não quer dizer que o bambu se submete ou se subjuga, mas apenas que ele, para não cair e não ser arrancado da terra, se dobra, mas se mantém bem firme no chão. 

Quando as tempestades passam o bambu se reergue, mostra toda a sua beleza e o seu vigor, ao sabor das brisas remanescentes e se enraíza ainda mais, para estar de novo, pronto para enfrentar as futuras tempestades que hão de vir.

Por isso, a exemplo do bambu, temos que ter muita fibra para atingirmos as grandes alturas e ter a flexibilidade para nos curvarmos e assim nos mantermos firmes e presos ao chão.

Ao observarmos o crescimento do bambu podemos tirar várias lições para a nossa vida:

– Precisamos nos aprofundar nos conhecimentos, criando raízes profundas, da mesma forma que o bambu. Mesmo que isso dure anos e anos para se atingir determinado objetivo, tendo em mente que o tempo de Deus é muito diferente do nosso e tudo acontece na hora certa, para o nosso bem.

– Quando as tempestades surgem, sejamos humildes para nos curvarmos, sem nos subjugarmos, apenas sendo simples e humildes, respeitando a sua força e aprendendo com ela.

– Nunca iremos encontrar um bambu sozinho, pois para ter mais e mais força ele está sempre acompanhado de muitos outros. Nossas famílias e nossos amigos verdadeiros são os únicos que podem nos ajudar a enfrentar os ventos fortes e as tempestades da vida.

– O bambu não cria galhos, que o impedem de crescer, por isso sigamos seu exemplo e procuremos resolver nossos problemas à medida que crescemos. Se temos muitos galhos eles nos impedem de crescer. Vamos escolher bem nossas companhias, escolher aquelas nos põem para cima e não vamos deixar que nada fique sem ser resolvido. Não vamos criar galhos desnecessários em nosso espírito, impedindo-nos de crescer.

– O bambu está cheio de nós. Seus nós foram crescendo aos poucos e deixando marcas no seu caule. Assim são os problemas que superamos. Eles nos deixam marcas que servem para nos lembrar das lições aprendidas e do esforço que fizemos para passar por cada uma delas.

– O bambu tem o seu tronco oco, mas a sua casca é forte. Isso serve para nos lembrar que dentro de nós tem que haver espaço para entrar coisas boas. Enquanto não retirarmos de dentro de nós os preconceitos, os ressentimentos, as mágoas e raivas, só deixando espaço para entrar coisas boas, não teremos paz.

– E por fim, o bambu nos ensina que se deve crescer mirando sempre as alturas, olhando para cima, para podermos sonhar e viver nossos sonhos, sem deixarmos de buscar a face de Deus.

Afinal se já foi nos dito que somos feitos da mesma matéria que os sonhos, façamos como o bambu e deixemos que nossas raízes cresçam firmes no chão de tal modo que se olharmos para o alto, a realização dos nossos sonhos passará a ser algo tão simples como o virar de páginas de um livro.

José Luiz Ricchetti – 15/03/2022

thiagomelego

thiagomelego

Jornalista por tempo de serviço, Radialista, Administrador, tecnólogo em Recursos Humanos. Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas.
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com