Crônica: O mundo novo pós pandemia

Listei abaixo as grandes transformações que deveremos ter a partir da pandemia que se iniciou em 2019 e que deve se estabilizar a partir de 2022 até 2023.

Um novo mundo se abrirá e caberá a cada um de nós buscar a melhor maneira de se adaptar. A maioria das mudanças serão positivas, mas cabe ficar alerta em relação as mudanças sociais e de trabalho que avançarão em alta velocidade.

O mundo espiritual está aí batendo na nossa porta e trazendo a oportunidade de repensarmos a nossa vida e nossos valores. 

1 – Todos nós queremos nos socializar novamente, mas o trabalho remoto veio para ficar e iremos continuar a trabalhar parte em casa e parte nos escritórios. A vida empresarial nunca mais será a mesma.

2 – A grande maioria dos grandes escritórios irão fechar e esse modelo será substituído por tecnologias disruptivas que mudarão todo e qualquer forma existente. As grandes corporações irão desaparecer gradativamente e serão lembradas na história como os grandes elefantes brancos que existira, no período de 1980-2020.

3 – Os hotéis de trabalho no mundo todo deverão cair pela metade. As viagens, congressos e reuniões de trabalho nunca mais serão como antes. A maioria será feita online e o turismo de trabalho irá desaparecer. Quase tudo isso passará a ser via vídeo.

4 – Nossas casas tornar-se-ão mais tecnológicas com adaptações para o home office. Muitas empresas passarão a se preocupar em resolver as necessidades do trabalho em casa. As pessoas poderão morar fora das grandes cidades sem deixar de gerar o mesmo valor e com muito mais economia e produtividade para as empresas.

5 – A produtividade não mais dependerá só daquele seu chefe que vê você todo dia, mas será feita por meio de plataformas que medirão seus resultados e performance. A forma de contratação das pessoas será totalmente repensada pois poderemos buscar os melhores funcionários no mundo todo e de modo muito mais fácil, barato e eficiente. Não haverá diferença entre contratar pessoal local ou no estrangeiro. Seremos todos globais.

6 – Tudo o que é repetitivo tornar-se-á virtual, bastando pagarmos os serviços por assinatura e streaming. Igrejas, arte, academias, cinemas, entretenimento e outros serviços não irão conseguir manter as suas atuais estruturas físicas.

7 – As empresas que não investirem em novas tecnologias irão desaparecer. A empresa tradicional chegou ao seu fim em 2020. As startups e empresas de tecnologia irão substituir as grandes empresas no geral, principalmente aquelas que ficarem estagnadas e permanecerem fazendo o mesmo que nos últimos 50 anos.

8 – O turismo para entretenimento irá retornar, mas com muita tecnologia no seu processo, desde a venda até a operação. As pessoas irão preferir visitar lugares mais naturais, mas que também apresentem soluções tecnológicas.

9 – O tratamento de dados pessoais tornar-se-á mais delicado e as grandes plataformas de redes sociais irão mudar. As pessoas vão preferir pagar assinaturas devido a transparência envolvida que continuar a doar seus dados gratuitamente. As grandes marcas terão valor se tiverem credibilidade e prestígio. As que não se enquadrarem nessa nova visão perecerão.

10 – A força de trabalho será drasticamente reduzida e muitas operações simples serão substituídas pela inteligência artificial. Uma grande temporada global de demissões está chegando. O desemprego irá ocorrer por motivos multifatoriais e não apenas por causa da crise econômica.

11 – A educação nunca mais será igual. Cada um de nós poderá estudar o que precisar. Estudar off-line e ou online será normal. Escolas e Universidades passarão a ter um esquema híbrido.

12 – A medicina será ainda mais tecnológica e será adaptada para usar a tecnologia remota para sempre. Uma consulta médica por teleconferência será absolutamente normal. Os grandes hospitais terão que repensar o seu modelo de funcionamento devido à crise econômica que sofreram com a pandemia.

13 – A economia pessoal irá se retrair e novas formas de gerar transações comerciais serão utilizadas. As famílias irão economizar mais e uma alta porcentagem dos gastos irá para atividades que antes não tinham demanda e vice-versa. A compra de roupas elegantes será substituída por roupas casuais.

14 – O e-commerce continuará a crescer e grandes plataformas sociais, como Facebook, Tik-Tok e YouTube deverão competir com a Amazon. Teremos o fechamento de mais da metade das lojas físicas globais. As lojas ainda sobreviverão parcialmente como showrooms, mas o comércio real será muito mais “online” do que “presencial”. Os grandes shoppings ficarão presos no tempo e poucos sobreviverão a longo prazo.

15 – Mudanças climáticas serão um tópico muito discutido e apoiado. As grandes indústrias continuarão a se transformar com apoio da inteligência artificial. A adoção da bicicleta e outros meios alternativos como meios de transporte continuarão crescendo e haverá muitas transformações nas grandes cidades. A questão da mudança climática será o tema central pós pandemia.

16 – Novos modelos de informações e notícias por assinatura, com mais transparência, disponibilizarão conteúdo sem tanta ‘fake news’. As mídias tradicionais cairão em descrédito e ficará claro o quanto elas são hoje parciais e sujeitas a ideologias e a influências de interesses econômicos. A credibilidade e transparência será a pedra angular das novas empresas de mídia. As pessoas irão preferir interagir com seletos provedores de informação e não mais com essas mídias que bombardeiam informações.

17 – A saúde mental tornar-se-á um tema recorrente. Grandes plataformas ajudarão as pessoas a enfrentar as situações de agressividade, solidão e angústia que vivenciaram durante o processo de isolamento na pandemia. Há muito a repensar e as crises de liderança nas empresas também serão muito mais comuns e objeto de análises.

18 – Os grandes problemas como educação, saúde, energia, segurança, política, destruição da classe média, ganharão destaque. O grande capital será investido para fazer o bem, enquanto os problemas globais ainda são resolvidos. Empreendedorismo social terá o seu melhor, com resultados financeiros substanciais.

19 – Tudo irá tender para o natural e saudável. Os alimentos, experiências e a forma de interação tenderão para o natural. Produzir a própria comida, meditar e se exercitar, passarão a fazer parte do dia a dia. Ser mais saudável será o “novo luxo”. Produtos de luxo irão perder valor e justificativa. A reciclagem irá voltar forte com grandes tecnologias que irão resolver a maioria dos problemas gerados no passado.

20 – O mundo terá um novo começo, haverá um renascimento. As pessoas irão repensar seus objetivos pessoais, de trabalho, saúde, dinheiro. A espiritualidade ganhará força e as pessoas terão a oportunidade de mudar sua maneira de pensar e os seus valores.

Acumular, consumir e viver pelo material será considerado pela maioria como coisas negativas.

A inovação, a tecnologia, o pensamento sobre o que é natural serão a base da nova realidade. Todos terão a oportunidade de encontrar novos caminhos e encontrar novos objetivos pessoais.

Não existe evolução sem mudanças. É no vento das mudanças que encontramos novas direções. Afinal. Todas as mudanças são positivas, basta você olhar pelo ângulo certo.

José Luiz Ricchetti – 16/11/2021

(Baseado em dados da revista ‘The Economist’)

thiagomelego

thiagomelego

Jornalista por tempo de serviço, Radialista, Administrador, tecnólogo em Recursos Humanos. Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas.