Crônica: Os espelhos de versalhes, por José Luiz Ricchetti

O Palácio de Versalhes é um castelo real localizado na cidade de Versalhes, atualmente um subúrbio de Paris. Desde 1682, quando Luís XIV se mudou de Paris para lá, até o dia em que a família real foi forçada a voltar à capital em 1789, a Corte de Versalhes foi o centro do poder do antigo regime absolutista na França.

Versalhes é considerado um dos maiores palácios do mundo e possui 2.153 janelas, 67 escadas, 352 chaminés, 700 quartos, 1.250 lareiras. Tudo isso dentro de um parque com 700 hectares ou seja 7 milhões de metros quadrados!

Uma das salas mais famosas de Versalhes é o ‘Salão dos Espelhos’, cuja sala tem 73 metros de comprimento, 12 metros de altura e é iluminada por 17 janelas que têm à sua frente, inúmeros espelhos que refletem a vista dos jardins.

Quando visitei Versalhes, fiquei maravilhado com a beleza desse salão dos espelhos.

Me recordo que quando estava admirando, das janelas, aquela vista maravilhosa dos jardins e vendo minha imagem sendo refletida por aqueles espelhos, notei duas meninas, que me pareciam gêmeas, talvez com uns 11 ou 12 anos, que faziam sorrisos e caretas em frente aos espelhos.

Era engraçado observar que enquanto uma delas abria enormes sorrisos, no que era obviamente correspondido pelos reflexos imediatos nos espelhos de inúmeros e enormes sorrisos, a outra se preocupava em fazer caretas, imitando monstros, uma mais feia que a outra e consequentemente, via refletir imediatamente naqueles espelhos, as inúmeras e horrorosas carrancas.

A menina dos sorrisos comentava com a irmã:

  • Que lugar maravilho e lindo! Não acha mana? Eu viveria aqui fácil, fácil!

A irmã, a que só fazia caretas e carrancas, logo respondeu:

  • Que isso mana, eu hein? Morar num lugar desses onde as paredes refletem minhas caretas? Aqui me parece que só tem monstros! Eu hein? Tô fora!

Assim que saí daquela sala e comecei a percorrer as alamedas daquele maravilhoso jardim, meus pensamentos se voltaram para aquela cena entre as meninas gêmeas e suas diferentes posturas em frente aos espelhos.

A menina que sorria, via nos espelhos um lugar lindo e gostoso de se morar, enquanto aquela que só fazia caretas, olhava o mesmo local com olhos diferentes, enxergando tudo como um ambiente feio e muito ruim para se viver.

Acredito que assim somos nós, quando chegamos a uma nova cidade, um novo local de trabalho, conhecemos uma nova pessoa.

As imagens que conseguirmos ver refletidas nas pessoas e nesses locais, serão aquelas que irão nos impressionar e nos passar a real visão sobre aquela pessoa ou aquele local.

Se olharmos tudo com sorrisos, veremos refletidos boas imagens e teremos reflexos de uma identidade boa e agradável.

Se olharmos tudo com caretas, com certeza veremos refletidos imagens ruins e teremos reflexos de uma identidade ruim e desagradável.

São os sorrisos que tornam felizes os nossos corações.

São os sorrisos que nos dão o sentimento de alegria, que abrem a nossa alma e nos permitem ver refletido no coração das pessoas o que há de bom e tudo o que pode nos proporcionar momentos felizes.

Um sorriso dura um instante, mas permanece para sempre. Um sorriso se reflete nas futuras ações de uma vida inteira, se soubermos fazer refletir nos nossos espelhos da vida somente coisas boas. Tudo que há de bom começa com um grande sorriso.

Dizem que o sorriso é a manifestação dos lábios quando os olhos encontram o que o coração procura, mas eu diria que o sorriso é aquela janela que se abre frente aos nossos olhos, para podermos encontrar o que o nosso coração procura.

O sorriso é a roupa mais linda que podemos usar.

E se um dia encontrarmos quem não consiga nos oferecer um sorriso, sejamos como a menina dos espelhos de Versalhes e ofereçamos a ela o nosso sorriso e façamos refletir coisa boas, pois afinal ninguém tem tanta necessidade de um sorriso quanto aquele que não sabe dar.

José Luiz Ricchetti – 22/08/2021

thiagomelego

thiagomelego

Jornalista por tempo de serviço, Radialista, Administrador, tecnólogo em Recursos Humanos. Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas.