CUIDADO COM O VELHO GOLPE DAS PÁGINAS AMARELAS

       As pessoas não tem limites quando o assunto é golpe; a cada instante somos surpreendidos com novos golpes e não raras vezes os velhos golpes são ressuscitados. O consumidor deve ficar atento com as diversas ligações recebidas, pois muitas delas tem um único objetivo: aplicar um golpe. São ligações variadas desde o golpe do sequestro de parentes até o golpe de cartões clonados.

O golpe mais antigo é o das páginas amarelas. A lista telefônica antiga destinava uma parte especial para as propagandas chamadas de páginas amarelas. Hoje pessoalmente não vejo mais esse tipo de oferta, temos a internet e basta procurar por um profissional ou comércio que acharemos as informações necessárias.

No entanto, o velho golpe das páginas amarelas não deixou de ser aplicado e pegam as pessoas desprevenidas. Tudo começa com uma ligação de alguém que se apresenta como um funcionário de um cartório de protesto, sempre da Capital ou cidades bem distantes que alega possuir um contrato assinado pela pessoa referente às páginas amarelas, cujo valor do contrato, foi apontado ao protesto.

A vítima não tem o menor tempo de se defender, pois logo em seguida o golpista a pressiona para pagar determinada quantia até determinada hora, sob pena de ver o título protestado. O golpista pede para que o valor seja depositado em uma conta, mas nunca fornece os dados do contrato e do título a ser protestado. As maiores vítimas são empresários e comerciantes, porém ultimamente as pessoas físicas entraram na mira dos golpistas.

O que a vítima deve fazer para não cair no golpe? A primeira coisa é agir friamente e pensar se realmente contratou alguma propaganda nas páginas amarelas, o passo seguinte é não pagar e não depositar nada. Se o título realmente existir e for falso ele poderá até ser protestado, mas a vítima poderá se utilizar dos meios jurídicos necessários para suspender o apontamento do título enquanto discute se o valor cobrado é realmente devido.

A orientação é nunca depositar valores para pagar suposto débito e lembrar que os cartórios não ligam para as pessoas o habitual é enviar uma carta avisando que o título será protestado. Ao receber a carta a vítima deve se dirigir ao cartório de sua cidade e solicitar que o funcionário faça a pesquisa e identifique o título. Se o título estiver sendo apontado indevidamente restará a via judicial para discutir sua origem.

O importante é manter a calma e não agir precipitadamente para não ficar a ver navios. Se a vítima depositar o valor correspondente à suposta dívida, com certeza terá um prejuízo financeiro, pois não recuperará seu dinheiro e em raríssimos casos conseguirá identificar a conta e ingressar com uma medida judicial rápida e eficaz para evitar o levantamento do dinheiro.

Os golpes sempre existiram e infelizmente não deixarão de existir, o melhor é sempre agir com cautela e se aconselhar juridicamente antes de se tornar, mas uma vítima.

thiagomelego

thiagomelego

Jornalista por tempo de serviço, Radialista, Administrador, tecnólogo em Recursos Humanos. Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas.
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com