Divulgação de pesquisas eleitorais volta a gerar polêmica

by thiagomelego 8 de novembro de 2020 at 10:25 PM
Comentários desativados em Divulgação de pesquisas eleitorais volta a gerar polêmica

Desde a manhã do sábado, muitas pessoas tem encontrado pelas ruas um informativo cujo título é “Operação Atoleiro”. Este traz a informação de que uma empresa denunciada por fraude foi contratada para a realização de pesquisa eleitoral nas cidades de São Manuel e Pratânia.

Segundo este “informativo”, tanto a chapa de Odirlei Félix (Baixinho) e seu vice Fernando Santos (Fefê), candidatos a prefeito e vice em São Manuel, como a chapa, Davi Pires e Osmir Félix, candidato a prefeito e vice em Pratânia, teriam contratado a empresa.

O informativo “Operação Atoleiro” diz ainda que a polícia investiga se a empresa UTR de Camargo teria praticado crimes como peculato, fraude a licitação e fraude em concurso público.

Segundo publicação da chapa “Roque Joner e Neto Justo”, na sede da UTR havia um cartão com nome de empresas parceiras, entre elas, a responsável pela realização de concurso público da prefeitura Pratânia e na Câmara de Areiópolis.

Esta não foi a primeira vez que a publicação de uma pesquisa eleitoral gera polêmica. O Área 14 apurou que de fato a empresa UTR apresentou o registro de pesquisa e que a contratação havia sido feita pelas candidaturas de Odirlei e Davi. Elas ainda serão divulgadas.

No ano de 2012 o saudoso Jornal O Debate havia divulgado que a juíza havia proibido uma pesquisa eleitoral por irregularidades, confira:

A eleição de 2009 2008 não havia sido diferente. O extinto Jornal União também havia publicado uma “enquete” que havia “dado o que falar”. Já nas eleições de 2016, nenhuma pesquisa foi publicada.

A chapa “A Transformação Continua” de Ricardo Salaro, candidato a reeleição e Márcia Oliveira como vice, havia entrado na justiça eleitoral, onde apontou irregularidades que podem comprometer o resultado final da pesquisa e pediu a justiça eleitoral que analisasse antes de ser divulgada, mostrando vários pontos que possivelmente estavam incorretos.

Foram argumentado problemas referentes ao plano amostral, ao dia de início e término da pesquisa, o controle interno de confiabilidade, a quantidade de pesquisadores disponíveis, entre outros fundamentos.

A Juíza Eleitoral optou por não impedir a divulgação, e que após ela, se de fato houver alguma irregularidade com a legislação, a partir daí, haverá as sanções previstas.

A chapa do candidato de Pratânia Roque Joner para prefeito e Neto Justo para vice publicou na rede social deste sábado a seguinte informação:

Confira a íntegra da publicação: