Dia do Trabalho – 1º de maio, por Edilaine de Góis Tedeschi

O dia 1º de maio foi escolhido como o dia internacional do trabalhador em 1889, em Paris. A escolha foi uma homenagem à greve geral que aconteceu nesta mesma data em 1886, na cidade de Chicago, que era o principal centro industrial dos Estados Unidos. Esse protesto ficou também conhecido como a Revolta de Haymarket.

                       A data passou a ser comemorada no Brasil em 1925, porém os principais benefícios só foram introduzidos no governo de Getúlio Vargas em 1943, com a aprovação da Consolidação das Leis do Trabalho, instituída pelo Decreto Lei 5.452 de 1º de maio de 1943. O trabalhador passou a ter direitos que até então não tinham tais como férias remuneradas, 13º salário, e outras que foram introduzidas ao longo dos anos.

Com o passar dos anos as garantias tanto individuais como coletivas dos trabalhadores foram aumentando. Hoje os trabalhadores contam com seguro desemprego, estabilidade para a trabalhadora gestante, estabilidade para os que estão prestes a se aposentar, enfim, uma série de justos benefícios para os que realmente trabalham.

Na sexta feira comemoramos o dia do Trabalhador e tivemos um sentimento bem diferente em relação aos anos anteriores, antes, os sindicatos das diversas categorias lutavam por reajustes, benefícios, pisos salarias, promoviam shows, passeatas, carreatas, enfim.

Esse ano nada disso aconteceu, a não ser uma ou outra manifestação nesse sentido. 

                         Neste ano voltamos os olhos para os profissionais da área da saúde, da limpeza e da coleta do lixo, dos supermercados, das farmácias, dos postos de gasolina, dos serviços funerários, dos coveiros dos cemitérios, passamos a valorizar e muito todos esses profissionais.

                       Esses profissionais neste ano de 2020 nos dão uma dimensão do que é realmente o dia do trabalho: um dia de muita luta, principalmente dentro dos hospitais, das UBS,  das UPAS, dos prontos socorros, dos hospitais de campanha, onde, infelizmente estão escolhendo os pacientes que devem usar os respiradores artificiais, com chances de sobrevida.

                       Estamos sofrendo, em ver esses profissionais literalmente dando tudo de si, inclusive a vida, pois muitos estão infectados e alguns já faleceram, na luta diária, sem fim, sem perspectiva contra uma doença sem cura.

                       Esses profissionais merecem todo o nosso respeito e nossa cooperação, precisamos colaborar com o isolamento social e parar de achar que essa doença não vai nos pegar, devemos fazer nossa parte e seguir as recomendações dos especialistas, usar as máscaras de maneira adequada, lavar as mãos, utilizar álcool gel, evitar aglomerações. Essa será a melhor homenagem que poderemos fazer a esses profissionais.

Esses profissionais ainda continuam desvalorizados quando se trata de remuneração, e não tem equipamentos de proteção adequados e mesmo assim estão lá tentando fazer o que podem e o que sabem para salvar as pessoas.

                          Que no próximo dia 1º de maio, o nosso País e o Mundo, já tenham superado essa grave situação e que os profissionais que hoje estão na linha de frente possam ser homenageados com dignidade.

thiagomelego

thiagomelego

Jornalista por tempo de serviço, Radialista, Administrador, tecnólogo em Recursos Humanos. Estuda Análise e Desenvolvimento de Sistemas.
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com