Surto de conjuntivite faz número de casos disparar em São Manuel

by Thiago Melego 11 de Abril de 2018 at 08:52

Um surto de conjuntivite fez o número de casos da doença disparar em São Manuel. Somente nos últimos vinte dias – entre 16/03 e 07/04, foram notificados 155 casos na cidade.

Funcionários da Diretoria de Saúde têm percebido um aumento considerável no número de pessoas que chegam às unidades de saúde se queixando dos mesmos sintomas: olhos avermelhados, sensação de desconforto ocular, inchaço do olho ou da pálpebra, lacrimejamento, sensibilidade à luz e visão borrada.

As causas são diversas, como reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes. Quando causada por vírus e bactérias, ela é contagiosa e pode ser transmitida pelo contato direto com as mãos, contato com a secreção ou objetos contaminados.

Devido a essa facilidade de contaminação, é comum as pessoas transmitirem conjuntivite umas às outras em um mesmo ambiente. São os chamados surtos da doença. A Vigilância Epidemiológica está elaborando a impressão de cartazes e panfletos com orientações de cuidado e prevenção para serem distribuídos nas escolas e unidades de saúde.

Veja as recomendações do Ministério da Saúde sobre como se prevenir:

– evitar aglomerações ou freqüentar piscinas de academias ou clubes;

– lavar com freqüência o rosto e as mãos, uma vez que estes são veículos importantes para a transmissão de microorganismos patogênicos;

– não coçar os olhos;

– usar toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos ou lavar todos os dias as toalhas de tecido;

– trocar as fronhas dos travesseiros diariamente enquanto durar o surto;

– não compartilhar o uso de esponjas, rímel, delineadores ou de qualquer outro utensílio de beleza;

– não se automedique.

Estou com algum dos sintomas, e agora?

– Procure a unidade de saúde do seu bairro;

– O tratamento da conjuntivite é determinado pelo agente causador da doença. Para a conjuntivite viral não existem medicamentos específicos;

– Já o tratamento da conjuntivite bacteriana inclui a medicação de colírios antibióticos, que devem ser prescritos por um médico, pois alguns colírios são altamente contra-indicados por que podem provocar sérias complicações e agravar o quadro;

– Cuidados especiais com a higiene como descritos acima ajudam a controlar o contágio e a evolução da doença;

– Qualquer que seja o caso, porém, é fundamental lavar os olhos e fazer compressas com água gelada, que deve ser filtrada e fervida, ou com soro fisiológico comprado em farmácias ou distribuído nos postos de saúde.

Comentários

comments