Necessidade de rompimento levou amante a assassinar companheira em Areiópolis

JC Net – A Polícia Civil localizou na última terça-feira (16) os restos mortais de Vilma Maria da Costa, de 42 anos, moradora de Areiópolis, que estava desaparecida desde o início de janeiro. Um homem apontado pela Polícia Civil como amante dela, morador de Lençóis Paulista, confessou o crime e teve a prisão temporária decretada pela Justiça por trinta dias.

Vilma, que era casada e tinha dois filhos, uma menina de 19 anos e um menino de quatro anos, saiu de casa no dia 9 de janeiro, por volta das 9h30, dizendo que iria pagar uma conta e ir até a academia, mas não voltou mais. O desaparecimento foi comunicado à Polícia Civil e, desde então, a polícia vinha tentando levantar qualquer informação que pudesse levar à localização dela.

A delegada Simone Alves Firmino conta que, após quatro meses de investigações, a polícia identificou um suspeito de manter caso extraconjugal com a vítima, Oender Vicente Ferreira, 36 anos, morador de Lençóis Paulista. “Fomos cumprir mandado de busca na casa do suspeito, que tinha um envolvimento amoroso com ela, e conseguimos que ele confessasse espontaneamente”, revela.

Segundo a delegada, o homem afirma que, um dia antes do crime, a esposa dele descobriu a traição. Ele alegou em depoimento que chamou Vilma para conversar em um canavial na zona rural com o objetivo de pôr um fim ao relacionamento entre os dois, mas ela não teria aceitado o rompimento. Após discussão, o suspeito teria desferido três facadas no abdômen da amante.

Na sequência, ele conta que jogou o corpo dela em um barranco. “Provavelmente, com as chuvas de janeiro e fevereiro, ele foi encoberto”, declara Firmino. Durante todo o dia, com a ajuda do Corpo de Bombeiros, a polícia realizou buscas no local apontado pelo homem. No fim da tarde, as equipes localizaram um crânio, um fêmur e o sapato usado por Vilma no dia em que ela sumiu.

PERÍCIA

Os restos mortais da vítima foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Botucatu. Nesta quarta-feira (17), familiares dela foram até a unidade para fazer o reconhecimento e colher material genético para confrontação visando confirmar a identidade.

Ferreira foi indiciado pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver e recolhido à Cadeia de Itatinga, onde ficará à disposição da Justiça. “Foi uma resposta para a família da Vilma, que estava há quatro meses aguardando notícias”, ressalta a delegada.

Comentários

comments