Câmara de São Manuel vai apurar se Ricardo Salaro cometeu irregularidades

Se comprovada irregularidades conforme denúncia entre a Câmara, Ricardo Salaro, pode perder cargo de prefeito de São Manuel. Major Rubin, seu vice, assumiria o cargo.

Uma denúncia entregue a Câmara Municipal de São Manuel, se comprovada, poderá levar a cassação do mandato do prefeito Ricardo Salaro (PPS). Na sessão da segunda-feira, 07 de agosto, 12 dos 13 vereadores aprovaram a abertura de uma “Comissão Processante” que irá apurar o caso. O único vereador a votar contra foi Anízio Pette (Solidariedade).

A sessão foi longa. Teve início às 20h30 e terminou por volta de 23h40. Várias interrupções foram registradas e os vereadores promoviam vários debates entre si, em uma sala separada, sem que a população pudesse acompanhar em vários momentos o que era discutido.

A denúncia apresentou documentos referentes a um contrato para a construção de uma creche na Cohab 2. Segundo a denúncia, uma construtora teria sido contratada por R$ 80 mil, de forma ilegal, para fazer a obra.

“Essa denúncia foi protocolada na sexta-feira e foi encaminhada por mim ao procurador da Casa. Ele deu seu parecer pela formalidade legal da denúncia e  na primeira sessão ordinária após o recesso de julho, foi aceita por 12 votos a 1. Isso porque o trabalho do vereador é fiscalizar o Executivo”, explicou o presidente da casa, Odirlei José Félix.

De acordo com a denúncia, a construtora que venceu a licitação para construir a creche terceirizou o trabalho, o que é ilegal. Segundo o presidente da Câmara, a Comissão Processante vai investigar se o prefeito atual tinha conhecimento do caso e se fez pagamentos à empresa terceirizada.

Por sua vez, o prefeito Ricardo Salaro Neto disse em entrevista que nunca fez pagamentos a essa construtora terceirizada e que as irregularidades foram cometidas na gestão anterior. Segundo ele, ao perceber que tratava-se de uma subcontratação, a prefeitura começou a tomar as providências para fazer a rescisão contratual e abrir nova licitação para contratar outra empresa que terminará a obra.

“Eu não sei por que há essa denúncia contra a nossa gestão, contra o nosso governo, uma vez que, desde que chegamos, estamos trabalhando para corrigir as irregularidades que lá encontramos”, defende- se Salaro.

Durante a sessão, os vereadores fizeram um sorteio que definiu quem integrará a comissão que vai conduzir os trabalhos. Foi escolhido como presidente o vereador Paulo Zaparolli, como relator o sorteado foi o vereador João Paulo Piovan e como membro ficou a vereadora Alexandra Guimarães.

De acordo com palavras do Procurador Jurídica da Câmara, Dr. Lucas, na denúncia, além das acusações, o autor também colocou provas que fundamentam tudo que ali havia sido colocado.

Após notificar o prefeito, ele terá direito de apresentar sua defesa e incluir nela até 10 testemunhas. Esta etapa poderá durar até 90 dias. O relator ira montar um parecer sendo ele favorável ou não a denuncia e esse parecer será votado em plenário pelos 13 vereadores.

Se os vereadores no final do processo concluírem que realmente o prefeito cometeu irregularidades, ele poderá ser afastado e assume seu vice, José Luis Rubin (Major Rubin).

Comentários

comments