Avaliação de árvores reduzirá riscos de acidentes e poda desnecessária

A Prefeitura de São Manuel, através da Diretoria de Agricultura e Meio Ambiente, aderiu ao processo de análise em árvores por meio de tomografias, com o objetivo de traçar um perfil das condições das árvores mais antigas e de grande porte do município. Este levantamento será acompanhado pelo Comdema (Conselho Municipal de Meio Ambiente), que avaliará caso a caso.
O serviço será prestado por uma empresa contratada por meio de licitação. A tomografia é capaz de mostrar o tamanho e a posição de possíveis lesões nas árvores, além de analisar as raízes e permitir a localização precisa dos defeitos através de método pouco invasivo (apenas uma parte da sonda é inserida na árvore). As regiões fracas do espécime e as áreas com menores espessuras de paredes residuais são detectadas com auxílio de sensores e os resultados são imediatos. Com essas informações, é emitido um laudo sobre cada árvore analisada com a recomendação do que deve ser feito: remoção, substituição, poda e possível tratamento.

Vale frisar que a arborização urbana demanda cada vez mais de novas tecnologias para analisar e prevenir o risco de queda, pois as árvores quea compõem estão sujeitas a maior exposição aos ventos, solos pobres e compactados que dificultam o enraizamento, copas descaracterizadas que, muitas vezes, deslocam o centro de gravidade do espécime, corte das raízes de sustentação para construção de calçadas, podas mal efetuadas, bem como ocorrência de acidentes envolvendo veículos.

“Além disso, com o passar dos anos, o risco de apodrecimento e ataque de pragas (coleobrocas e cupins) e doenças (fungos, vírus e bactérias) aumenta, fatores que são destacados dentro do diagnóstico fitossanitário facilitando o manejo adequado e a prevenção da queda. Nesse sentido, a tomografia é a melhor e mais eficaz maneira de evitar a queda das árvores que, por vezes, causa prejuízo e incômodo à cidade”, explica o diretor de Agricultura e Meio Ambiente, José Otávio Cella Júnior. 

O diretor ainda alega que “a arborização desempenha diversas funções importantes nas cidades relacionadas a aspectos ecológicos, estéticos e sociais, afinal, as árvores proporcionam sombra, amenizam a temperatura e a poluição sonora, aumentam a umidade relativa do ar, enfim, propiciam uma melhor qualidade de vida para a população”.
O município segue o exemplo de cidades como Bauru e São Paulo, que já utilizam essa tecnologia para monitorar suas respectivas áreas de arborização. 

Legislação

Nos termos da Constituição Federal (art. 30 e art. 182) e do Estatuto da Cidade (Lei 10.257/01), cabe ao município criar, preservar e proteger as áreas verdes da cidade e também o sistema de arborização, ambos como parte de sua política de desenvolvimento urbano.

Na gestão das questões relacionadas ao meio ambiente, a responsabilidade e a atuação do município são feitas pelo uso de vários instrumentos de política ambiental representados por leis, portarias e outros mecanismos que tornam a arborização urbana um importante serviço no funcionamento das cidades. Com isso, para que se tenha uma política ambiental municipal efetiva é preciso inseri-la no contexto das esferas da administração pública, incluindo a utilização de instrumentos técnicos na promoção e aplicação de tecnologias disponíveis tanto para ações preventivas quanto corretivas quanto as questões ambientais.

A prefeitura não divulgou custos que esse projeto dará a municipalidade, mas, segundo informações extraoficiais que circulam por redes sociais, o valor pode chegar a até R$ 70 mil em um ano. 

Comentários

comments